Jovem morta no litoral de SC foi obrigada a cavar a própria cova, diz polícia

Corpo de Amanda Albach foi encontrado nesta sexta-feira na praia de Itapirubá; três suspeitos, incluindo uma amiga da vítima, foram presos

  • Por Jovem Pan
  • 04/12/2021 12h04
Divulgação/Polícia Civil de Santa CatarinaInvestigações mostraram que jovem foi morta após tirar foto com a arma de um dos suspeitos

A jovem Amanda Albach, de 21 anos, foi obrigada a cavar a própria cova antes de ser morta com dois tiros na praia de Itapirubá, região limítrofe entre os municípios de Imbituba e Laguna, no litoral sul de Santa Catarina, segundo informações da Polícia Civil. Três pessoas envolvidas no crime, sendo uma delas amiga da vítima, foram presas. O corpo de Amanda foi encontrado na tarde desta sexta-feira, 3. A jovem morava em Fazenda Rio Grande, no Paraná, e foi ao litoral catarinense para passar o feriado de 15 de novembro.

Segundo as investigações, a jovem foi assassinada por um homem com ligação com o tráfico de drogas. Segundo o delegado da Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Laguna, Bruno Fernandes, o homem, que confessou os disparos, se sentiu incomodado pela vítima ter contado para outras pessoas que ele teria relações com a venda de drogas. Amanda também teria batido uma foto de uma arma que ele possuía em casa. “Nesse contexto que predomina em relação ao tráfico de drogas, ele não gostou e essa foi a razão pela qual ele optou por tirar a vida dela”, disse.

A vítima estava desaparecida desde o dia 15 de novembro, data que a Polícia Civil acredita que o crime tenha sido cometido. De acordo com o depoimento do suspeito, ele obrigou a vítima a caminhar na praia com uma pá antes de mandar Amanda a cavar a própria cova. Ele também teria coagido a vítima a mandar um áudio para familiares momentos antes do crime para afirmar que voltaria para casa no dia seguinte. Segundo o delegado, a família da vítima desconfiou que havia algo de errado pelo tom da voz na mensagem. Pelos depoimentos, apenas este suspeito estava presente no momento da morte. Não foi informado a participação das duas outras pessoas no crime. Os três suspeitos moravam na praia de Itapirubá. Eles foram presos na manhã desta sexta-feira, em Canoas, região metropolitana de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.