Jungmann pede que Moro dê atenção ao sistema carcerário

  • Por Jovem Pan
  • 02/01/2019 12h04
Agência BrasilO agora ex-ministro da Segurança Pública Raul Jungmann e o novo ministro da pasta, o ex-juiz federal Sergio Moro

O agora ex-ministro da Segurança Pública Raul Jungmann pediu ao novo ministro da pasta, Sergio Moro, que trate com atenção o sistema carcerário do País. Moro assumiu nesta quarta-feira (2) o superministério formado pela Justiça e pela Segurança Pública e também defendeu a necessidade de se realizar uma reforma.

“A população carcerária, em 2025, pode chegar a 1,5 milhão de apenados. O que acontece na rua tem sua dinâmica determinada dentro do sistema prisional”, disse Jungmann. “Não podemos olhar o prolema da segurança pública dos portões de casa aos do sistema prisional. É preciso pensar como totalidade.”

O ex-ministro afirmou, ainda, que o sistema penal se encontra sob o domínio de cerca de setenta facções criminosas. “Jovens apenados não têm ressocialização porque não têm trabalho e educação. Dizer isso não é passar mão na cabeça de bandido e não que não se deva apoiar as propostas do ministro Moro, elas vão nesse sentido”, disse Jungmann.

Participaram da cerimônia de transmissão de cargo o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Dias Toffoli, e o presidente da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Claudio Lamachia.

Estão sob a responsabilidade de Moro pelo menos 2.647 cargos comissionados. O novo desenho do ministério foi publicado nesta quarta no Diário Oficial da União (DOU).

*Com informações da Agência Brasil e da Agência Estado