Justiça adia audiência de testemunhas em caso dos irmãos Batista

  • Por Agência Brasil
  • 19/03/2018 17h15
ReproduçãoIrmãos Wesley e Joesley Batista são investigados pelo crime de insider trading, uso de informações privilegiadas para lucrar no mercado financeiro

Ficou para o dia 4 de abril a audiência em que seriam ouvidas quatro testemunhas de acusação no processo que apura se os irmãos Joesley e Wesley Batista usaram de informações privilegiadas (insider trading) para lucrar no mercado financeiro. As oitivas estavam previstas para a tarde desta segunda-feira (19) na Justiça Federal, em São Paulo, mas os advogados dos réus pediram o adiamento alegando que um deles era recém-nomeado e ainda não teve acesso aos autos.

O juiz Diego Paes Moreira decretou sigilo nas audiências. Segundo a procuradora Thaméa Danelon, duas das testemunhas que seriam ouvidas são integrantes da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que trabalharam na apuração do ilícito administrativo, além de um delegado da Polícia Federal e um perito criminal que fizeram o laudo.

“Hoje (um membro da) a defesa do Wesley, um advogado que assumiu o caso há duas semanas, alegou que ingressou agora no caso e pediu prazo para se inteirar do processo. O Ministério Público se manifestou contra porque esse é um processo que já está se arrastando, mas infelizmente o juízo acatou o pedido e remarcou para outros dias”, disse a procuradora.

Os advogados e os réus, que entraram e saíram pela garagem do prédio da Justiça Federal, não falaram com a imprensa. De acordo com a procuradora, Joesley e Wesley deverão acompanhar todo o ato processual.

As testemunhas de defesa dos irmãos Batista serão ouvidas nos dias 9 e 10 de abril. Depois disso, os irmãos deverão também ser interrogados, mas a data ainda não foi marcada pela justiça.