Justiça decreta prisão preventiva do médium João de Deus

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2018 13h23 - Atualizado em 14/12/2018 16h12
Cesar Itiberê/Fotos PublicasO religioso é acusado de ter abusado sexualmente de mulheres durante a realização de tratamentos espirituais, em Abadiânia (GO). Cerca de 200 vítimas já procuraram autoridades para denunciá-lo.

A Secretaria de Segurança Pública de Goiás confirmou durante a tarde desta sexta-feira (14) que o Tribunal de Justiça de Goiás acatou o pedido do Ministério Público de Goiás (MP-GO) e determinou a prisão preventiva do médium goiano João Teixeira de Faria, o João de Deus.

O religioso é acusado de ter abusado sexualmente de mulheres durante a realização de tratamentos espirituais, em Abadiânia (GO). Cerca de 200 vítimas já procuraram autoridades para denunciá-lo.

As acusações contra o médium, que diz realizar tratamentos e “cirurgias espirituais” por meio de entidades que “incorpora”, surgiram no sábado (8), quando um programa de televisão conversou com vítimas. Em todos os casos, João levava a mulher para uma sala reservada para sessão em busca de milagres, o que acabava evoluindo para toques e estupros.

Para o Ministério Público, a semelhança nos depoimentos reforça as suspeitas. Até o momento, foram recebidas 330 denúncias em 11 Estados – 18 em São Paulo, já enviadas em vídeo para Goiás. O pedido de prisão foi protocolado no Fórum de Abadiânia. Para o MP, em liberdade, haveria o risco de João de Deus coagir testemunhas e fazer mais vítimas.

Promotorias de Justiça Criminais do Ministério Público de outros estados também estão recebendo denúncias e auxiliando o Ministério Público de Goiás na apuração, colhendo os depoimentos das denunciantes que não moram em Goiás.