Kim questiona faltas de Eduardo Bolsonaro na Câmara: ‘Férias pré-embaixada?’

  • Por Jovem Pan
  • 29/08/2019 12h53
Marcos Corrêa/PREduardo era contra medida que pune fake news

O deputado federal Kim Kataguiri (DEM-SP) questionou, nesta quinta-feira (29), a atuação do também deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) na Câmara. De acordo com o parlamentar, o filho do presidente Jair Bolsonaro (PSL), a quem chamou de “deputado fantasma”,  “nunca está no plenário” e nem lê os projetos pelos quais vota.

“Deputados fantasmas, como Eduardo Bolsonaro, que colocam a digital no plenário e vão embora, olham para o painel, seguem a liderança do partido e só sabem o que votaram depois de votar. Prática de deputado mimado e irresponsável”, escreveu Kim no Twitter, perguntando, também, onde estava Eduardo em outras ocasiões importantes para a Câmara.

“Onde estava [Eduardo Bolsonaro] na hora de chamar o governo pra votação nominal do abuso de autoridade? Ou no veto do contra projeto que limitava poderes do STF [Supremo Tribunal Federal]? Ou ontem, quando precisávamos do PSL para manter decreto presidencial? Na Previdência? Lava Toga? Nadinha. Fritando hambúrguer. Covarde”, continuou o parlamentar.

As críticas começaram após Eduardo agradecer, ironicamente, Kataguiri na rede social. O filho do presidente era contrário à derrubada do veto de seu pai, derrubado nesta quarta-feira (28) pelo Congresso Nacional, para penas mais duras para quem divulga fake news nas eleições. “Derrubado o veto da lei que pune com 2 a 8 anos de prisão quem divulgar fake news. Parabéns deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) por ter viabilizado esse instrumento que vai calar exatamente aqueles que não divulgam fake news. A esquerda comemorou no plenário, será por quê?”, escreveu Eduardo.

Em resposta, além das críticas, Kataguiri explicou que não é assim que o projeto vai funcionar desafiou Eduardo para um debate sobre a lei “que o próprio pai sancionou parcialmente” e questionou: “Se era contra, por que nao participou do debate? Por que não foi virar votos a favor do veto? Férias pré-embaixada?”