Líder do PT diz que esforços maiores serão concentrados no julgamento

  • Por Jovem Pan
  • 09/08/2016 15h19
Senador Humberto Costa (PT-PE)

A sessão do Senado Federal que vai decidir se a presidente afastada, Dilma Rousseff, será levada a julgamento pode acabar antes do previsto. Tudo depende dos senadores abrirem mão do uso da palavra, segundo o líder do PT no Senado, o pernambucano Humberto Costa.

“Certamente nós da oposição queremos falar, queremos defender nossas ideias, queremos fazer esse debate, mas se os senadores que dão sustentação ao governo decidirem não falar, a sessão pode acabar realmente mais cedo. Então vai depender basicamente disso”, afirmou Costa.

O senador disse ainda que não existe a intenção dos defensores de Dilma Rousseff de procrastinar a decisão, mas existe a intenção de fazer a discussão.

Apesar do objetivo dos aliados da petista de falar na sessão, Humberto Costa considerou que deve ocorrer a maioria dos votos que levará Dilma ao julgamento, momento este em que os defensores da petista concentram os maiores esforços.

“Nesta fase, onda há a necessidade apenas de uma maioria simples para a aprovação da pronúncia, é bem provável que eles tenham número suficiente para promover essa pronúncia. Nós estamos investindo nossos esforços numa escala maior no julgamento, que deve acontecer no final do mês, e onde eles terão, necessariamente, que obter 2/3 dos votos para afastar a presidente”, disse.