Em meio a pandemia, Barroso diz que ‘não há por que’ cogitar adiamento das eleições de 2020

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2020 16h50 - Atualizado em 20/03/2020 16h52
Carlos Humberto/Imagem STFLuís Roberto Barroso é o atual vice-presidente do TSE

O vice-presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, disse ao jornal O Estado de S.Paulo que não “sofre antes da hora”, acredita que até outubro a pandemia do coronavírus “estará sob controle” e que não há motivos para cogitar qualquer adiamento nas eleições municipais deste ano. O primeiro turno está marcado para 4 de outubro; o segundo, para o dia 25 do mesmo mês.

Neste momento, as maiores preocupações do TSE envolvem a paralisação da coleta de biometria de eleitores e a conclusão de uma licitação que prevê a compra de até 180 mil novas urnas para as eleições municipais, a um custo de R$ 696,5 milhões. Uma resolução do TSE paralisou a coleta de biometria de eleitores para assegurar a saúde dos servidores da Justiça Eleitoral.

“Nós estamos em março. As eleições são em outubro. Não há por que cogitar qualquer adiamento. Tenho a firme expectativa de que até lá a situação do novo coronavírus estará sob controle. Se não estiver, aí será o caso de se pensarem alternativas. Eu trabalho com fatos, e não com especulações. E não sofro antes da hora. Na vida, a maior parte das coisas que a gente teme não acontecem”, disse Barroso.

O ministro assumirá o comando da Corte Eleitoral em maio deste ano, substituindo Rosa Weber, e chefiará o tribunal durante as eleições. “Estamos cumprindo todos os cronogramas. A Justiça Eleitoral zelará para que tudo funcione da melhor maneira possível”, frisou.

*Com informações do Estadão Conteúdo