Lula apresenta recibos com datas inexistentes para provar aluguel de apartamento

  • Por Jovem Pan
  • 26/09/2017 14h06 - Atualizado em 26/09/2017 16h13
Ex-presidente Lula já depôs a Sergio Moro neste processo

Entre os 26 recibos de suposto aluguel do apartamento vizinho ao do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva em São Bernardo do Campo (SP), dois registram datas que nunca existiram no calendário: 31 de junho de 2014 e 31 de novembro de 2015. Estas seriam as datas de vencimento do aluguel, mas os meses de junho e novembro vão só até o dia 30.

Para o aluguel de junho de 2014, além disso, há dois recibos assinados, um com data de vencimento no dia 30 e outro no dia seguinte, data inexistente.

Os documentos, todos no nome da ex-primeira-dama Marisa Letícia, foram apresentados ao juiz federal Sergio Moro pela defesa de Lula no processo em que é acusado de receber propina da Odebrecht por contratos da Petrobras.

Veja:

Reprodução

Reprodução

Reprodução

A Lava Jato afirma que não houve pagamento de aluguel entre fevereiro de 2011 e pelo menos novembro de 2015. Nesta segunda-feira (25) a defesa do ex-presidente apresentou documentos que contestam a versão dos procuradores.

“A defesa faz a prova da inocência de Lula, que deverá ser reconhecida por um juiz imparcial e independente”, afirmou o advogado Cristiano Zanin Martins, que defende o ex-presidente, ao entregar os documentos a Moro.

Acusações

O imóvel, no valor de R$ 504 mil, é tratado pelo Ministério Público Federal como suposta propina ao petista. Para a Procuradoria-Geral da República, a Odebrecht custeou a compra do apartamento, em nome de Glaucos da Costamarques, primo do pecuarista José Carlos Bumlai, amigo do ex-presidente. Na mesma ação, ele responde por também ter supostamente recebido da empreiteira terreno onde seria sediado o Instituto Lula, no valor de R$ 12,5 milhões.

A denúncia da Procuradoria da República sobre o apartamento 121 ainda aponta que propinas pagas pela Odebrecht, no esquema que seria liderado pelo ex-presidente, chegaram a R$ 75 milhões em oito contratos com a Petrobras.

Relembre o depoimento de Lula a Moro no caso:

Com informações de Estadão Conteúdo