Lula ocupará cela comum e individual em Tremembé

  • Por Victoria Abel/Jovem Pan
  • 07/08/2019 13h39
Lula Marques/Agência PTLula está preso desde 7 de abril na sede da Superintendência da Polícia Federal em Curitiba em função de condenação a 12 anos de prisão

O ex-presidente Lula ocupará uma cela comum na penitenciária estadual de Tremembé, segundo apurou a Jovem Pan. A penitenciária não tem espaço adequado para cela especial. No entanto, o petista poderá ficar em uma carceragem individual, já que o presídio tem excedente de vagas, 408 para 393 presos.

A transferência do ex-presidente para o presídio de Tremembé será feita pela Polícia Federal, já que a execução penal do processo é em nível federal. Ainda não há data para o deslocamento e o planejamento ainda está sendo traçado.

A decisão pela transferência de Lula para Tremembé foi expedida pela Justiça de São Paulo no início da tarde. Ele está preso desde 7 de abril de 2018 na Sede da Polícia Federal do Paraná, após ser condenado pelo caso do triplex do Guarujá. A Penitenciária no interior de São Paulo abriga presos como Gil Rugai, Cristian Cravinhos e Mizael Bispo.

Transferência

No documento assinado pela juíza federal Carolina Lebbos, responsável pelas decisões sobre a custódia de Lula, ela afirma que a permanência de Lula na superintendência da Polícia Federal no Paraná, apesar de ser “prudente e necessária”, exige a manutenção da custódia em local em que as autoridades “pudessem preservar ao máximo as condições de segurança pessoal do detento e, concomitantemente, garantir com plenitude a efetividade no cumprimento da sanção aplicada”.

A defesa de Lula citou, para justificar a transferência, a aglomeração no entorno da Sede da Polícia Federal, que as dependências da unidade policial “são muito limitadas” e “não se destinam à execução de penas ou permanência regular de presos”, entre outras críticas à estrutura do local.

Defesa de Lula

Os advogados do ex-presidente devem tomar medidas para evitar que ele seja transferido para um presídio comum.  Segundo Paulo Okamoto, presidente do Instituto Lula, Lula “não é um sujeito qualquer”.