Lula recebeu notícia da condenação com “serenidade do inocente”, diz petista

  • Por Estadão Conteúdo
  • 12/07/2017 17h02
BRA50. SAO PAULO (BRASIL), 15/09/2016 - El expresidente de Brasil Luiz Inácio Lula da Silva hace un pronunciamiento hoy, jueves 15 de septiembre de 2016, en Sao Paulo (Brasil). Luiz Inácio Lula da Silva rechazó hoy las acusaciones de corrupción y lavado de dinero de la Fiscalía y, en un irónico y largo pronunciamiento, dijo que si le prueban algún delito irá caminando hasta la comisaría para su detención. "Prueben e iré caminando para ser detenido en Curitiba", afirmó el ex jefe de Estado al citar la ciudad desde donde la Fiscalía lidera todas las investigaciones sobre el gigantesco escándalo de corrupción en la petrolera Petrobras. EFE/Sebastião Moreira EFE/Sebastião Moreira Ex-presidente Lula ainda não se pronunciou sobre a sentença do juiz Sérgio Moro

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva estava no Instituto que leva seu nome, em São Paulo, quando soube de sua condenação. Segundo um dos um dos vice-presidentes do PT, Márcio Macedo, Lula recebeu a notícia “com a serenidade do inocente e a indignação de um injustiçado”.

Macedo informou que a Executiva Nacional do partido vai se reunir com representantes dos movimentos sociais e das frentes Brasil Popular e Povo Sem Medo ainda na tarde desta quarta-feira, 12, para decidir sobre ações de reação política à condenação. Segundo ele, o ato que está sendo convocado nas redes sociais para esta tarde na Avenida Paulista não é organizado pelo PT.

“É uma manifestação voluntária de homens e mulheres de bem desse País que estão indignados com o que aconteceu. Não é uma movimentação organizada por nós, mas vamos tratar desse assunto com os movimentos sociais e vamos fazer mobilizações pelo País”, disse.

Segundo Macedo, a presidente nacional do PT, a senadora Gleisi Hoffmann (PR) vai divulgar uma nota de repúdio a qualquer momento. Ela deve chegar em São Paulo nesta quinta-feira, 13, para discutir as próximas ações. Além disso, deputados e senadores do PT e partidos aliados vão fazer discursos de repúdio à condenação nas tribunas da Câmara e Senado.

Questionado se já foi discutido se a condenação tornaria inviável uma eventual candidatura de Lula em 2018, Macedo disse que o assunto não foi discutido. “Estamos indignados com o que aconteceu”, disse. Segundo Macedo, Lula vai se pronunciar “na hora adequada”.