Mãe de Geddel alega problema de saúde e falta de novo a depoimento na ação do bunker de R$ 51 milhões

  • Por Jovem Pan
  • 15/02/2019 16h36
DivulgaçãoDinheiro foi encontrado em setembro de 2017, dois meses após a prisão de Geddel Vieira Lima

Marluce Vieira Lima não compareceu nesta sexta-feira (15) a interrogatório da ação penal em que ela e os filhos – ex-ministro Geddel Vieira Lima e ex-deputado Lúcio Vieira Lima – são acusados de lavagem de dinheiro e associação criminosa envolvendo R$ 51 milhões encontrados pela Polícia Federal em apartamento de Salvador (BA).

A defesa alegou que ela não poderia comparecer “por determinação médica”. Assim, o juiz estendeu o prazo para que Marluce responda às perguntas da defesa e do Ministério Público Federal (MPF). A audiência ocorreria às 14h30, mas não é a primeira vez que ela é adiada. Em outubro passado, advogados apresentaram atestado de repouso por 30 dias.

Diante da ausência, o MPF pediu um prazo de dez dias para apresentar perguntas a serem respondidas por Marluce. O magistrado determinou que, em “atenção aos princípios da celeridade, lealdade processual, busca da verdade real, ampla defesa e contraditório, bem como no interesse de resguardar a saúde da acusada, garantindo integridade física e psíquica”, a Procuradoria elabore as perguntas em 10 dias, assim como a defesa.

“Para melhor desenvolvimento e articulação em suas respostas, outorgo à acusada Marluce o prazo de 15 dias para as respostas, havendo, ainda, de possibilidade de que o juiz titular desta Vara formule outros questionamentos que entender pertinentes”, decidiu. O juiz pontua que, “caso não haja possibilidade sequer de que a acusada responda a essas perguntas, deverá o atestado médico consignar expressa ressalva”.

*Com informações do Estadão Conteúdo