Magno Malta: ‘Não fui comunicado nem indiquei Damares para ministério’

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2018 20h27
Valter Campanato/Agência Brasil Magno Malta esperava ter assumido algum ministério, o que não ocorreu

O senador Magno Malta (PR-ES) afirmou nesta sexta-feira (7) que não indicou o nome de sua assessora parlamentar, Damares Alves, para assumir o Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos. Segundo ele, não reeleito e preterido na disputa pelo cargo, a escolha foi pessoal do presidente eleito Jair Bolsonaro.

“Esclareço que ela não é uma indicação minha, é uma escolha pessoal do presidente que a convidou”, disse em vídeo publicado em redes sociais. “Não fui comunicado, não fui solicitado, não fui eu que a indiquei como algumas pessoas pensam. Não traduz a verdade. Ela é uma escolha pessoal do presidente da República.”

Malta já indicou estar “chateado” com Bolsonaro. Ele esperava fazer parte do primeiro escalão do governo, mas foi descartado. Entretanto, desejou “toda a sorte do mundo” a Damares. “Continuo orando para Deus abençoe o presidente, Deus cubra ele com toda sorte e sabedoria que precisamos nesse novo Brasil.”

Elogios

Damares atuava no gabinete de Magno Malta desde 2015. No vídeo, ele elogiou a funcionária. “Damares é capaz, é minha assessora já há muitos anos. [Ela tem participado de] Minhas lutas de vida, de defesa dos valores, a minha luta contra o aborto, contra as drogas, [pela] defesa das crianças. Merece parabéns, é uma pessoa preparada.”