Maia defende relações entre Brasil e UE: ‘Estou certo que esse mal-estar será superado’

  • Por Jovem Pan
  • 26/08/2019 16h11
Aloisio Mauricio/Estadão ConteúdoConforme Maia, se o Brasil quiser trilhar o caminho do desenvolvimento precisará cultivar a cooperação com os europeus

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), defendeu nesta segunda-feira (26) as relações entre o Brasil e a União Europeia (UE). Segundo ele, o bloco é o maior investidor estrangeiro no Mercosul e está certo que este “mal-estar momentâneo será superado”.

As declarações foram feitas durante um almoço oferecido pela Câmara de Comércio França-Brasil (CCFB), em São Paulo, no momento em que os presidentes do Brasil, Jair Bolsonaro, e da França, Emmanuel Macron, batem boca em torno do incêndio que consome a floresta Amazônica.

Maia afirmou que os países são tradicionais parceiros econômicos e que a França é o 21º principal cliente externo. Além disso, de acordo com ele, Macron teria ficado isolado no bate-boca com o presidente brasileiro, graças aos demais líderes do G7, que reunidos no último sábado na França teriam colocado um freio na discussão.

Conforme Maia, se o Brasil quiser trilhar o caminho do desenvolvimento precisará cultivar a cooperação com os europeus. O parlamentar voltou a frisar que a Câmara resolveu criar a Comissão para Mudanças Climáticas.

Maia enfatizou e defendeu a importância do Acordo de Paris para a preservação do meio ambiente. “Buscaremos ser mais ativos na diplomacia parlamentar. O Brasil não pode ser refém do radicalismo ideológico”, alfinetou o presidente da Câmara, para quem “não podemos tratar parceiros internacionais como ameaça”.

Ele disse ainda que o Brasil não pode regredir para o modelo de desenvolvimento econômico dos anos 1960 e que o meio ambiente não pode ser devastado sob a justificativa do desenvolvimento regional da Amazônia.

* Com informações do Estadão Conteúdo