Maia vai criar grupo para discutir adiamento das eleições municipais

Uma das propostas que já circula entre os parlamentares é o primeiro turno ocorrer no dia 15 de novembro e o segundo no início de dezembro

  • Por Jovem Pan
  • 18/05/2020 21h43 - Atualizado em 18/05/2020 21h45
Frederico Brasil/Futura Press/Estadão ConteúdoEm março, Maia não admitia ainda debater esse adiamento

Com o avanço da pandemia da Covid-19 no Brasil, Câmara e Senado devem criar grupos para discutir o adiamento do calendário das eleições municipais deste ano, marcadas para outubro.

Apesar da resistência de políticos em tratar do tema no início da crise, o prolongamento levou a uma mudança de postura. Em reunião com líderes da Câmara nesta segunda-feira (18), o presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou que irá criar um grupo de trabalho, com deputados e senadores, para estudar a mudança de calendário.

Para o líder do Cidadania, Arnaldo Jardim (SP), tudo indica que o calendário terá problemas, porque além das datas das votações, partidos e candidatos precisam cumprir exigências e eventos antes de outubro. “Não vamos prorrogar mandatos. A ideia é jogar data para frente. Maia vai conversar com o ministro Luís Roberto Barroso”, disse Jardim Barroso, que assume a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na segunda-feira (25).

Uma das propostas que já circula entre os parlamentares é adiar o primeiro turno para o dia 15 de novembro e deixar o segundo turno para o início de dezembro. “Devemos criar o grupo de trabalho, nada foi decidido ainda”, pontuou o líder do PSB, Alessandro Molon (RJ).

Em março, Maia não admitia ainda debater esse adiamento. “A discussão de adiar as eleições é uma discussão completamente equivocada. Nestes próximos meses, o nosso foco deve e será, certamente, do Poder Executivo, do Parlamento e do Judiciário, o enfrentamento a essa crise, com os Três Poderes trabalhando de forma unida”, declarou o deputado na época.

* Com informações do Estadão Conteúdo