Justiça torna réus manifestantes presos após ato contra Alexandre de Moraes

  • Por Jovem Pan
  • 12/05/2020 17h37 - Atualizado em 13/05/2020 07h35
Marcelo Chello/Estadão ConteúdoO ministro Alexandre de Moraes, do STF, foi alvo de protestos

A Justiça de São Paulo aceitou nesta terça-feira (12) a denúncia contra dois manifestantes que participaram de um ato contra o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes em frente à casa dele, na capital paulista, no último dia 2.

Antonio Carlos Bonzeri e Jurandir Alencar vão responder por ameaça, difamação, injúria e perturbação do sossego. Eles já haviam sido presos em flagrante durante o protesto, mas foram liberados após o pagamento de fiança.

A denúncia do Ministério Público foi aceita pelo juiz Márcio Sauandag, da 22ª Vara Criminal, que ainda deu 10 dias para que os réus apresentem por escrito as defesas.

Antes de virarem réus, Bonzeri e Alencar já tinham sido obrigados pela Justiça de São Paulo ao recolhimento domiciliar durante a noite e nos dias de folga. Eles também foram impedidos de deixar a cidade por mais de 8 dias sem autorização judicial e de ficar a menos de 200 metros do ministro Alexandre de Moraes.

Além dos dois acusados, cerca de 15 pessoas participaram do protesto em frente ao prédio onde mora o ministro do STF. O ato aconteceu no fim de semana seguinte à determinação de Moraes pela suspensão da nomeação de Alexandre Ramagem à diretoria-geral da Polícia Federal.