Manifestantes em defesa do Museu Nacional pedem para Polícia abrir portões da Quinta da Boa Vista

  • Por Jovem Pan
  • 03/09/2018 12h27
Marcelo Fonseca/Estadão ConteúdoO grupo tentou invadir o local e foi contido pela Polícia Militar

Uma manifestação realizada por estudantes na manhã desta segunda-feira (03) tomou conta da entrada da Quinta da Boa Vista, onde está localizado o Museu Nacional, no Rio de Janeiro.

O ato era em apoio à instituição e os manifestantes gritavam palavras de ordem como “deixa passar” e “abre” para que os policiais que fechavam o acesso ao museu deixassem o acesso livre. O grupo tentou invadir o local e foi contido pela Polícia Militar.

Por volta das 11h, policiais no local usaram spray de pimenta para dispersar a confusão no local.

Do lado de dentro da Quinta da Boa Vista, estudantes e professores da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) foram verificar a situação do Museu.

O incêndio

Um incêndio atingiu o Museu Nacional, na Quinta da Boa vista, em São Cristóvão, Zona Norte do Rio de Janeiro, na noite deste domingo (02). A assessoria de imprensa do museu disse que não houve feridos, já que o incêndio começou após o fechamento para o público. As causas do incêndio ainda são apuradas.

O fogo teve início, aproximadamente, às 19h30, quando quatro vigilantes estavam no local. Os trabalhadores conseguiram fugir a tempo. O Corpo de Bombeiros está no local e, imediatamente, iniciou o combate ao fogo.

A Polícia Civil abrirá um inquérito e deverá passar o caso para a Delegacia de Repressão à Crimes de Meio Ambiente e Patrimônio Histórico da Polícia Federal avaliar se o incêndio foi criminoso.

De acordo com testemunhas que estavam no local, o Corpo de Bombeiros teve dificuldade para puxar água para combater as chamas.

Funcionários e pesquisadores do Museu Nacional se juntaram aos bombeiros para ajudar na diminuição do fogo. A intenção era guiar o Corpo de Bombeiros até salas da instalação que contém produtos químicos inflamáveis usados para conservar animais raros.