Mansueto afirma que ajuste fiscal deixou de ser prioridade

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2020 16h42
George Gianni/PSDBSecretário defende retomar reformas em 2021

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, afirmou nesta quinta-feira (16) que o ajuste fiscal em 2020 deixou de ser uma prioridade diante da necessidade de gastos da União, Estados e municípios no combate ao coronavírus.

De acordo com Mansueto, este é um assunto para o próximo ano. “Precisamos retomar as reformas”, disse o secretário durante participação em uma transmissão ao vivo que a Necton Investimentos realiza neste momento.

Perguntado sobre a retomada do Programa de Privatizações, o secretário destacou que não se pode privatizar por privatizar”. Para ele, se sai de uma crise fazendo um “debate mais racional”.

Mansueto alegou também que só se saberá sobre qual tamanho do PIB que o Brasil terá este ano nas próximas semanas. “É difícil dizer. Pode cair 2%, 3%, 5%”, afirmou. Para ele, o governo está se preparando para um lockdown de três meses, mas que nenhum País passou por isso. “Preferimos ajudar por três meses os Estados, mas se precisar, debateremos aumento.”

O secretário disse ainda que não vê o Tesouro com dificuldades para se financiar. “Temos colchão de liquidez. Confio no bom debate para chegarmos a um meio termo sobre a ajuda aos Estados”, concluiu.

* Com informações do Estadão Conteúdo