‘Mar de lama’: rompimento de barragem é destaque na imprensa internacional

  • Por Jovem Pan
  • 25/01/2019 21h30 - Atualizado em 25/01/2019 21h44
GIAZI CAVALCANTE/CÓDIGO19/ESTADÃO CONTEÚDOMoradores observam o local destruído pelos rejeitos após o rompimento da barragem da Mina do Feijão

O rompimento da barragem Mina do Feijão, em Brumadinho, na região metropolitana de Belo Horizonte, no início da tarde desta sexta-feira (25), foi destaque na imprensa internacional.

Os principais jornais da Argentina, da Espanha, do Reino Unido, dos Estados Unidos e da França ressaltaram os números da tragédia: pelo menos sete mortos e 200 desaparecidos. Os veículos também associaram o fato desta sexta ao rompimento da barragem de Fundão, na cidade de Mariana, ocorrida em 2015.

O jornal argentino Clarín disponibilizou vídeos e detalhes sobre os desdobramentos da tragédia. O texto menciona que “um rio de lodo” destruiu casas próximas a Brumadinho.

No espanhol El País, o destaque é o trabalho dos bombeiros. O jornal descreve o acidente e detalha que o local parece um “mar de lama” e menciona o fato de a empresa Vale buscar explicações para o ocorrido e prestar assistência às vítimas.

O britânico The Guardian cita a imprensa local de Minas Gerais para informar que 50 pessoas, pelo menos, podem ter morrido no local, onde há cerca de 200 desaparecidas. No texto, há também a descrição de como ficou a região após o acidente.

No jornal norte-americano The New York Times, o texto menciona a tragédia e destaca que, no momento que houve o rompimento, aproximadamente 100 empregados estavam almoçando e que o restaurante foi destruído.

Já o francês Le Monde diz que “depois da catástrofe de Mariana”, um novo acidente ocorreu no Brasil, em Minas Gerais, e envolvendo a empresa Vale, responsável pelas duas barragens.

Com informações de Agência Brasil