Ministério da Educação desbloqueia 679 bolsas de pós-graduação

  • Por Jovem Pan
  • 03/10/2019 20h09
Antônio Cruz/Agência BrasilO ministro da Educação, Abraham Weintraub

O Ministério da Educação (MEC) anunciou nesta quinta-feira (3) o desbloqueio de 679 bolsas de pós-graduação, cuja renovação havia sido congelada por falta de recursos. Ao todo, serão liberadas 271 bolsas de mestrado, com valor de R$ 1,5 mil mensais; 304 bolsas de doutorado, de R$ 2,2 mil mensais; e 104 de pós-doutorado, de R$ 4,1 mil por mês.

Segundo o presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), Anderson Ribeiro Correia, elas serão disponibilizadas às instituições de ensino superior nos próximos dias.

Todas as bolsas serão ofertadas em cursos nota 4, com tendência de melhora. Os cursos são avaliados pela Capes em uma escala que vai até 7, sendo os cursos 7 os melhores avaliados. Para funcionar, devem ter, no mínimo, nota 3.

Descontingenciamento

A medida, segundo o ministério, foi possível graças ao descontingenciamento de R$ 270 milhões do montante de R$ 1,99 bilhão do Orçamento liberados para a pasta e por economias da própria Capes.

Segundo o MEC, o mérito e o impacto científico são fatores para a liberação das bolsas. “O meu objetivo não é dar bolsa, é chegar à cura da dengue, é selecionar os melhores professores para conseguir ensinar às nossas crianças a ler e a escrever melhor”, disse o ministro da Educação, Abraham Weintraub. “[Quem recebe bolsa] tem que saber que a gente paga imposto e vira bolsa e isso tem que voltar para a sociedade de alguma forma.”

Segunda liberação

Essa é a segunda liberação das renovações das bolsas de estudos pelo MEC. Em setembro, a pasta anunciou o bloqueio de 5.613 bolsas, cujos pesquisadores concluíram as pesquisas e que não seriam ofertadas este ano para novos estudantes. No mesmo mês, informou que seria possível retomar a maior parte delas e que seriam ofertadas a novos pesquisadores.

Ao todo, foram desbloqueadas 3,1 mil bolsas, todas de programas de pós-graduação com notas 5, 6 e 7.

*Com Agência Brasil