Medo do desemprego diminui em dezembro, aponta CNI

  • Por Jovem Pan
  • 08/01/2020 14h31 - Atualizado em 09/01/2020 08h29
ITACI BATISTA/Estadão ConteúdoÍndice caiu 2,1 pontos desde o trimestre encerrado em setembro

Uma pesquisa divulgada nesta quarta-feira, 8, pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) apontou uma queda no índice que mede o medo do desemprego do brasileiro. O número ficou na casa dos 56,1 em dezembro, 2,1 pontos a menos que o registrado no trimestre encerrado em setembro.

Apesar da queda, o índice é ainda superior a média histórica de 50,1 pontos. Se comparado com o mesmo período de 2018, o número também supera os 55 pontos registrados. O índice varia de zero a cem pontos, e quanto menor o indicador, menor é o medo do desemprego.

“O medo do desemprego permanece mais elevado entre os brasileiros com renda familiar de até um salário mínimo. Nessa faixa de renda, o indicador subiu 0,9 ponto em relação a setembro e atingiu 69,7 pontos em dezembro, muito acima dos 37,4 pontos verificados entre as pessoas que recebem mais de cinco salários mínimos”, disse a CNI.

Na variação ao longo de 2019, o indicador apresentou um aumento de 4,3 pontos no primeiro semestre. Após uma breve recuperação, registrou uma alta de 3,2 pontos no fim do ano.

Mulheres

Entre as mulheres, o medo do desemprego atingiu patamar recorde em 2019. Em dezembro, o número aumentou 0,6 se comparado a setembro, alcançando os 63,2 pontos ante 48,5 pontos registrados entre os homens.

Satisfação

O estudo levantou ainda o grau de satisfação dos brasileiros com a vida. O resultado não foi muito animador – 68,3 pontos, uma queda de 0,7 ponto em relação a setembro. Entre os brasileiros com maior grau de instrução e renda familiar, a satisfação é maior.

“Entre os brasileiros com educação superior, o indicador alcançou 70,5 pontos, muito acima dos 65,3 pontos registrados entre aqueles que têm até a quarta série do ensino fundamental. Entre os que renda familiar superior a cinco salários mínimos, o índice ficou em 73,1 pontos em dezembro, 8,6 pontos acima dos 64,5 pontos registrados entre os que têm renda familiar de até um salário mínimo”, disse a CNI.

A pesquisa ouviu 2 mil pessoas em 127 municípios entre os dias 29 de novembro e 2 de dezembro de 2019.

* Com informações da Agência Brasil.