Meirelles: última coisa que Brasil precisa é a economia ter problema por política

  • Por Estadão Conteúdo
  • 23/05/2017 15h47
Brasília - O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante audiência pública da Comissão Especial sobre Novo Regime Fiscal (PEC 241/16), na Câmara dos Deputados (Marcelo Camargo/Agência Brasil)ministro da Fazenda

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse em palestra que o governo está tomando as medidas necessárias para garantir a estabilidade da economia. “O Brasil está construindo um caminho para um novo ciclo de crescimento”, afirmou ele, ressaltando que a última coisa que o País precisa agora é a economia ter problemas por causa de questões políticas.

“Estou com uma agenda ativa e reuniões intensas”, comentou o ministro ao encerrar sua palestra, que durou cerca de 40 minutos “Vejo um compromisso do Congresso. Eu aposto no futuro do Brasil e estou trabalhando dia e noite nesta direção.” 

Meirelles afirmou que o governo trabalha para que o crescimento potencial do Brasil, aquele que não gera inflação, seja maior no futuro. Para isso, é essencial aprovar as reformas. O ministro citou que o presidente da Câmara, o deputado Rodrigo Maia, o informou que a reforma trabalhista está seguindo seu curso. 

Ao defender a necessidade de reformas, Meirelles voltou a afirmar que a previdência do Brasil é ponto fora da curva mundial e o País tem elevado gasto com aposentados, de 13% do Produto Interno Bruto (PIB). Além disso, a tendência destes gastos é crescente.

Ainda em sua apresentação, o ministro falou dos benefícios da nova taxa de juros de longo prazo, TLP, que dará maior poder para a política monetária. 

O ministro reforçou em sua apresentação que a intenção do governo é atrair o setor privado para a economia, o chamado “crowding in”, ao contrário do que ocorria no governo anterior, quando a presença do Estado na economia aumentou, expulsando o setor privado, o chamado ‘crowding out”.