Mendes cobra pronunciamento de Janot contra fala de líder da CUT em Brasília

  • Por Jovem Pan
  • 14/08/2015 12h26
Gilmar Mendes e Rodrigo Janot

O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Gilmar Mendes disse que “temos que repudiar com toda veemência” a fala do presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores), Vagner Freitas, que disse nesta quinta (13) a plateia de movimentos sociais para “ir para as ruas, entricheirados, com armas nas mãos, se tentarem derrubar a presidente Dilma Rousseff”. A fala foi dada durante encontro de entidades com Dilma em Brasília. Mendes também cobrou uma posição clara do procurador-geral da República Rodrigo Janot.

“O próprio Ministério Público, que hoje é muito ativo, o procurador-geral da República (Rodrigo Janot) fica devendo uma palavra sobre um assunto como esse. É fundamental que ele se pronuncie sobre esse fato: uma ameaça de uma ação armada feita no Palácio do Planalto”, cobrou o ministro, em entrevista exclusiva à Jovem Pan nesta sexta-feira (14).

“O Brasil vive um estado de direito e esse é um valor que precisa de ser preservado”, afirmou ainda Mendes. O ministro lembrou também de frase do começo do ano do ex-presidente Lula, que falou em convocar o “exército de Stédile (líder do MST)”.

“É preciso que todas as forças democráticas se unam e digam não a esse tipo de prática”, disse Mendes, sobre as convocações belicosas.

Gilmar Mendes também falou sobre a ação do PSDB no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) contra a chapa de Dilma nas eleições de 2014, que podem se tornar em cassação, caso comprovadas as irregularidades. Veja mais detalhes aqui.