Mensalão tucano: Marcos Valério, Hollerbach e Cristiano Paz são condenados

  • Por Jovem Pan
  • 18/06/2018 13h32
ReproduçãoOs acusados já cumprem pena no mensalão do PT. Marcos Valério foi condenado a 37 anos de prisão e está preso em regime fechado

Marcos Valério, Ramon Hollerbach e Cristiano Paz foram condenados a 16 anos e 9 meses de prisão, em regime fechado, pelos crimes de peculato e lavagem de dinheiro. A decisão foi tomada em primeira instância e proferida pela juíza Lucimeire Rocha, da 9ª Vara Criminal de Belo Horizonte. Cabe recurso.

Os três foram condenados por crimes cometidos durante a campanha eleitoral pela reeleição do então governador de Minas Gerais, Eduardo Azeredo (PSDB), em 1998. Eles também foram condenados ao pagamento de 400 dias-multa, cujo valor foi fixado em um salário mínimo vigente na data dos crimes.

Segundo o Ministério Público, dentre as estatais investigadas estão a Copasa (Companhia de Saneamento de Minas Gerais), Comig (Companhia Mineradora de Minas Gerais) e Bemge (Banco do Estado de Minas Gerais). Este último foi privatizado em setembro de 1998.

De acordo com a denúncia, as agências de publicidade SMP&B, da qual os três eram sócios na época, e DNA Publicidade e Propaganda captaram verbas de patrocínio para a realização do Enduro da Independência, do Supercross e do Iron Biker. Entretanto, o dinheiro era destinado à campanha de Azeredo.

A defesa de Hollerbach argumentou que seu cliente completou 70 anos em 13 de junho e, por isso, a condenação estaria impossibilitada. O advogado de Cristiano Paz, por sua vez, afirmou que também irá recorrer.

Os acusados já cumprem pena no mensalão do PT. Marcos Valério foi condenado a 37 anos de prisão e está preso em regime fechado na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados, em Sete Lagoas, na região central de MG.

Hollerbach foi condenado a 27 anos, quatro meses e 20 dias de prisão por corrupção ativa, evasão de divisas, lavagem de dinheiro e peculato no mensalão petista e cumpre pena na Associação de Proteção ao Condenado de Nova Lima.

Cristiano Paz, por sua vez, foi condenado a 23 anos, oito meses e 20 dias pelos crimes de corrupção ativa, peculato e lavagem de dinheiro no mensalão do PT. Ele cumpre pena em regime semiaberto na Associação de Proteção ao Condenado de Nova Lima.

Mensalão tucano

Segundo a denúncia, o mensalão tucano teria desviado recursos para a campanha eleitoral de Eduardo Azeredo, em 1998.

O ex-governador de MG foi condenado em segunda instância e cumpre pena pelo caso em um batalhão do Corpo de bombeiros, em Belo Horizonte. O ex-senador Clésio Andrade também foi condenado a cinco de prisão por envolvimento no esquema.

O jornalista Eduardo Guedes, que atuou como secretário adjunto de Comunicação Social na gestão de Azeredo, foi condenado por envolvimento no esquema.