Metroviários aprovam greve e devem paralisar atividades na próxima terça (30)

Uma nova assembleia será realizada na segunda (29) para deliberação e organização da greve

  • Por Jovem Pan
  • 27/04/2019 10h43
Willian Moreira/Estadão ConteúdoApós quatro reuniões de negociações entre o Sindicato dos Metroviários e o Metrô, os trabalhadores avaliaram que “as propostas apresentadas não atendem as necessidades da categoria

Os metroviários de São Paulo prometeram realizar uma paralisação das atividades na próxima terça-feira (30). A decisão foi tomada em assembleia no sindicato da categoria nesta quinta-feira (25).

A greve na próxima semana atingirá as linhas 1-Azul, 2-Verde e 3-Vermelha. As negociações com o Metrô começaram em 04 de abril, mas a companhia aceitou a proposta apenas na última quinta.

Após quatro reuniões de negociações entre o Sindicato dos Metroviários e o Metrô, os trabalhadores avaliaram que “as propostas apresentadas não atendem as necessidades da categoria frente às demandas de trabalho”.

Segundo o Sindicato, a empresa propôs apenas a reposição de inflação pelo índice IPC-Fipe nos salários e no VA e VR, sem aumento real. Os metroviários pedem reajuste de 4,32%, mais 19,1% de aumento real por produtividade, o mesmo percentual para o vale-refeição, que hoje é de R$ 850, e reajuste do vale-alimentação de R$ 368,72 para R$ 726,81.

“O Metrô mantém as medidas que atacam o Plano de Saúde, com cortes drásticos de verbas destinados ao plano, não apresentou nenhuma proposta ao plano dos aposentados, não quis negociar os critérios da Participação dos Resultados e negou a reivindicação de equiparação salarial. Em função disso, os trabalhadores do metrô de São Paulo reunidos em assembleia de 25/4 aprovaram a realização de uma greve no dia 30/4”, traz nota do sindicato.

Na assembleia também ficou decidida a continuidade do uso do colete e adesivo.

Uma nova assembleia será realizada às 18h30 da segunda-feira (29) para deliberação e organização da greve.