Mil militares estão de prontidão para atuar em Brumadinho, resta governo de Minas solicitar, diz porta-voz

  • Por Jovem Pan
  • 28/01/2019 18h14
Fernando Moreno/Estadão ConteúdoAté o momento, 60 mortes foram confirmadas em Brumadinho

Cerca de 1 mil militares estão de prontidão para atuar em Brumadinho (MG), afirmou na tarde desta segunda-feira (28) o porta-voz do governo federal, Otávio Santana do Rêgo Barros. Uma barragem de rejeitos de minério da Vale destruiu a cidade na última sexta (25).

“O Exército já está pronto desde sexta-feira à noite, imediatamente após o acidente. No caso específico, resta ao governo de Minas Gerais, se assim lhe parecer adequado, fazer a solicitação”, afirmou Rego Barros em entrevista coletiva concedida em São Paulo.

De acordo com ele, as tropas disponibilizadas pelo Ministério da Defesa estão “aquarteladas” nos municípios mineiros de Belo Horizonte e Juiz de Fora. O governador Romeu Zema (Novo) não solicitou o reforço das Forças Armadas até o momento.

Barragem

A barragem do Córrego do Feijão, da mineradora Vale, se rompeu na tarde da última sexta. A onda de rejeitos de minério de ferro atingiu a área administrativa da empresa e a comunidade da Vila Ferteco, poluindo o Rio Paraopeba – o principal da região.

Vítimas

O número de mortos em consequência do acidente em Brumadinho chegou a 60 nesta manhã. A Defesa Civil de Minas Gerais ainda contabiliza 382 pessoas localizadas, 191 resgatadas e 292 desaparecidas. Dos mortos, 19 foram identificados até o momento.