Ministério da Saúde diz que é cedo para planejar Réveillon e Carnaval

Em pronunciamento nas redes sociais, secretário executivo da pasta alertou para o desconhecimento dos impactos da variante Ômicron

  • Por Jovem Pan
  • 14/12/2021 17h40
ROBERTO CASIMIRO / FOTOARENA / ESTADÃO CONTEÚDO Movimentação de passageiros no Aeroporto Internacional de Guarulhos Virada de ano foi cancelada em capitais como Rio de Janeiro, São Paulo, Recife e Salvador

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Rodrigo Cruz, deu recomendações sobre as festas de fim de ano e o Carnaval em suas redes sociais nesta terça-feira, 12. Em sua conta no Twitter, ele salientou o desconhecimento dos impactos da variante Ômicron no Brasil. “O posicionamento do Ministério é conservador, como a gente ainda não sabe os efeitos da variante, a recomendação é que não se planeje festa de fim de ano e não se planeje ainda carnaval. É tudo muito cedo”, disse. No Reino Unido a nova cepa já matou um paciente, enquanto no Brasil, foram confirmados 11 casos, porém sem mortes. A Ômicron é considerada preocupante por especialistas da comunidade científica por sua alta taxa de transmissibilidade e pela queda do percentual de proteção nas doses vacinais

No Brasil, capitais como São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Recife cancelaram as festas de rua para a virada do ano. O mesmo acontece em pontos turísticos, como São Sebastião, Ubatuba e Caraguatatuba, que também cancelaram a tradicional queima de fogos promovida pela prefeitura no Réveillon. Previsto para acontecer entre o final de fevereiro e o princípio de março, o Carnaval também já foi cancelado por cidades como Volta Redonda e Guarapari. Em cidades como Belo Horizonte, apesar da suspensão do edital de patrocínio, nada impede que blocos e festas se reúnam e se organizem de modo independente, em eventos privados.