Ministério Público abre inquérito para apurar ações da prefeitura na Cracolândia

Polícia dispersou usuários da praça Princesa Isabel na semana passada; promotores avaliam que houve violência

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2022 13h39
ALEX SILVA/ESTADÃO CONTEÚDO Cracolândia Usuários foram dispersados da praça Princesa Isabel e ocuparam a Marechal Deodoro

O Ministério Público de São Paulo abriu um inquérito para investigar as ações da prefeitura na região conhecida como Cracolândia, no centro da capital paulista. Na última quarta-feira, 11, a polícia dispersou usuários de drogas da praça Princesa Isabel e prendeu traficantes. Após a operação, os dependentes químicos se espalharam pelas ruas da região central. Um homem morreu baleado em um tumulto na noite de quinta, 12. A polícia investiga se o tiro partiu de algum dos agentes. Os promotores avaliam que as recentes intervenções da polícia tem semelhança com episódios anteriores, em que “por meio de violência física e psíquica, impeliam os dependentes químicos a buscar tratamento.”

O inquérito vai apurar, além da ação policial, as medidas utilizadas pela prefeitura para internação dos usuários, as formas de abordagem, a possível negligência nos locais de internação e a situação dos equipamentos de saúde e assistência social. O Ministério Público também vai analisar a execução do programa Redenção, da gestão municipal, criado para realizar ações integradas de assistência para pessoas em situação de vulnerabilidade e dependentes químicos.