Brumadinho: MP-MG denuncia ex-presidente da Vale e outras 15 pessoas por homicídio doloso

  • Por Jovem Pan
  • 21/01/2020 14h16 - Atualizado em 22/01/2020 08h56
Antonio Lacerda/EFEA barragem I da Mina do Córrego do Feijão se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019

O Ministério Público de Minas Gerais (MP-MG) denunciou nesta terça-feira (21) Fabio Schvartsman, ex-presidente da Vale, outras 15 pessoas e também as empresas Vale e TÜV SÜD pela tragédia de Brumadinho. Schvartsman foi denunciado por homicídio duplamente qualificado, enquanto os demais podem responder pelo crime de homicídio doloso.

Para o MP, ficou demonstrado, no caso, “promíscua relação entre as duas empresas no sentido de esconder do poder público, sociedade e acionistas a inaceitável situação de segurança de várias barragens de mineração mantidas pela Vale”. Dos indiciados hoje, 11 são executivos da Vale e os outros 5 da TÜV SÜD.

Em nota, a TÜV SÜD afirmou que “reitera seu compromisso em ver os fatos sobre o rompimento da barragem esclarecidos” e que continua “oferecendo cooperação às autoridades e instituições no Brasil e na Alemanha no contexto das investigações em andamento”.

A barragem I da Mina do Córrego do Feijão se rompeu no dia 25 de janeiro de 2019, deixando 270 vítimas. Até o momento, 259 foram identificadas pela Polícia Civil. Os bombeiros ainda procuram por 11 desaparecidos.