Ministério Público denuncia ministro do Turismo por candidaturas laranja

  • Por Jovem Pan
  • 04/10/2019 16h31
Lúcio Bernardo Junior/Câmara dos DeputadosMinistro também foi indiciado pela Polícia Federal no inquérito da Operação Sufrágio Ostentação

O ministro do Turismo, Marcelo Álvaro Antônio (PSL), foi denunciado pelo Ministério Público Eleitoral de Minas Gerais nesta sexta-feira (4) por três crimes envolvendo candidaturas laranja do partido em 2018. Além dele, outras dez pessoas também foram denunciadas por falsidade ideológica, apropriação indébita eleitoral e associação criminosa.

Mais cedo, o ministro também foi indiciado pela Polícia Federal no inquérito da Operação Sufrágio Ostentação – investigação sobre suposto desvio de recursos por meio de candidaturas femininas laranjas nas eleições.

Segundo as investigações, o partido do presidente Jair Bolsonaro utilizou candidatas em disputas de fachada para acessar recursos de fundo eleitoral exclusivo para mulheres. Os investigadores atribuem ao ministro o papel de articulador do esquema.

A PF já havia indiciado as ex-candidatas Naftali de Oliveira Neres, Débora Gomes da Silveira, Camila Fernandes Rosa e Lilian Bernardino de Almeida. O total de votos recebido pelas quatro foi próximo de 2.100. Elas ficaram em silêncio em audiência na PF, que as enquadrou por falsidade ideológica, aplicação irregular de verba e associação criminosa.

O ministro negou ter patrocinado de qualquer esquema. Na época, disse também que “em breve” as investigações iriam provar que ele “nunca patrocinou nenhum tipo de esquema em Minas”. “Como Deus é o justo juiz, vamos provar nossa total isenção, nossa total inocência.”

Bolsonaro declarou nesta tarde que pretende manter Marcelo Álvaro no cargo.