Ministra: produtores rurais ‘são os mais prejudicados’ com queimadas

  • Por Jovem Pan
  • 23/08/2019 16h39
Marcello Casal Jr/Agência Brasi"Está na hora de a gente fazer papel de bombeiro, e não colocar notícias mais alarmantes", declarou Tereza Cristina

A ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tereza Cristina, disse nesta sexta-feira (23) que não se pode dizer que o agronegócio brasileiro é o “grande destruidor” da Amazônia em razão das queimadas que ocorrem neste momento na região. Segundo ela, os produtores rurais são, na verdade, os “mais prejudicados” com elas.

“Não podemos dizer que, porque neste momento temos um incêndio acontecendo ou uma queimada acontecendo na Amazônia que o agronegócio brasileiro é o grande destruidor e, portanto, vão fazer barreiras comerciais contra esse agronegócio. Acho que está cedo. A gente tem que avaliar. Existe hoje uma preocupação do mundo com o meio ambiente. O Brasil não está fora dessa preocupação. E os produtores rurais também têm essa preocupação porque eles são os maiores prejudicados, principalmente aqueles que usam tecnologia”, disse a ministra.

“Está na hora de a gente fazer o papel de bombeiro aqui. E não colocar notícias mais alarmantes do que querem imputar ao nosso país e aos produtores brasileiros”, completou.

Tereza Cristina participou nesta tarde da assinatura de um convênio com o Banco do Nordeste para financiar projetos de inovação. Ainda segundo ela, as queimadas ocorrem durante todo o ano no Brasil, especialmente nos períodos mais secos.

“As queimadas no Brasil, elas todo ano acontecem. Tem duas coisas diferentes: uma coisa é queimada, outra coisa é incêndio. Tem que se fazer uma diferença entre esses dois acontecimentos. Estamos vivendo uma seca grande. Todo ano a Região Norte do país tem uma definição clara dessa estiagem, às vezes a gente fica seis meses sem chuva. Este ano, está mais seco e as queimadas estão maiores”, declarou.

Após ser perguntada se a repercussão internacional preocupa o agronegócio, a ministra afirmou que é preciso punir quem estiver fazendo queimadas de forma ilegal. De acordo com ela, o presidente Jair Bolsonaro deve anunciar ainda hoje ações que serão efetivas no combate a elas.

*Com Agência Brasil