Ministro das Relações Exteriores exonera presidente da Apex

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2019 17h47 - Atualizado em 09/04/2019 17h57
Alan Santos/PRRelação entre Araújo e Vilalva foi tumultuada nos últimos dias

O Ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, anunciou, nesta terça-feira (09), a exoneração do embaixador Mário Vilalva da presidência da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex).

O anúncio foi feito por meio de nota divulgada pelo ministério. No texto, explica-se “que a decisão faz parte do processo de dinamização e modernização do sistema de promoção comercial brasileiro” e que o ministro “agradece a colaboração que o embaixador Mario Vilalva prestou à frente daquela Agência nos meses iniciais da atual gestão”.

Não foi informado quem será o substituto de Vilalva na função.

Histórico de polêmicas

Mais cedo, antes do anúncio da demissão, o embaixador disse que não entregaria o cargo e classificou como “golpe” uma mudança recente no estatuto do órgão feita pelo ministro Ernesto Araújo, que retirou poderes do presidente da agência e ampliou força de diretores. Segundo ele, a mudança foi feita na “calada da noite” para “tirar os seus poderes e dá-lo para pessoas que não estão preparadas”.

O conflito começou quando Vilalva baixou uma portaria em que retirou dos diretores de Negócios, Letícia Catelani, e de Gestão, Márcio Coimbra, ambos indicados por Araújo, o poder de nomear e demitir funcionários.

Vilava é o segundo presidente da Apex demitido no governo de Jair Bolsonaro, que completa cem dias essa semana. O primeiro foi Alexandre Carreiro, que liderou por apenas dez dias e foi demitido após entrar em conflito com diretores indicados por Araújo.

*Com informações do Estadão Conteúdo.