“Missão cumprida”, diz David Uip após deixar Secretaria da Saúde de SP

  • Por Jovem Pan
  • 16/04/2018 18h05
Divulgação/Arquivo Agência Assembleia"A saúde de São Paulo hoje é pioneira, tem competência para atender todos os brasileiros, e o faz", afirmou o ex-secretário

Nesta segunda-feira (16), o governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB), demitiu o secretário estadual da Saúde, David Uip. Em seu lugar, assumirá a pasta o ex-reitor da Universidade de São Paulo (USP), Marco Antonio Zago.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, Uip, que ocupava o cargo desde 2013 e esteve à frente de ações como o combate à febre amarela, avaliou a passagem pela pasta como “missão cumprida” e ressaltou que o comunicado veio sem qualquer tipo de animosidade com o governador.

“Saída foi absolutamente amigável, sem nenhum problema. A vida pública é uma sucessão, e quem te substitui tem que ter apoio para continuar o bom trabalho. De minha parte, acredito que ajudamos a mudar a saúde de São Paulo e do Brasil. Novos hospitais, novos ambulatórios de especialidade, projetos de prevenção e de controladoria. Foi uma gestão que caminhou para frente apesar do momento difícil. São Paulo deixou de arrecadar R$ 20 bilhões no meu período de gestão. Então, a secretaria sofreu com essa queda. Entendo que, a despeito de todos os desafios, conseguimos realizar tudo aquilo que planejamos”, afirmou.

“A saúde de São Paulo hoje é pioneira, tem competência para atender todos os brasileiros, e o faz. 40% dos casos de média e alta complexidade são atendidos aqui no Estado, que tem um complexo hospitalar que terá 102 hospitais estaduais no final desse ano. A somatória de hospitais estaduais do resto do Brasil não chega a isso. Então, é uma gestão muito bem sucedida. Deixo a secretaria muito feliz, sabendo que cumpri minha missão”, acrescentou Uip.

Sobre o futuro da pasta, o ex-secretário, que voltará agora ao cargo de professor no Centro Universitário do ABC, confirmou que será substituído por Zago, a quem chamou de experiente e competente, e garantiu que fará de tudo para auxiliar seu sucessor no cargo.

 

 

 

“Acho que a saúde tem quatro grandes desafios. Primeiro é financiamento. O Governo Federal, que repassava mais de 60% de custeio, hoje repassa 25%. O resto é custeio do estado, e é um volume muito grande. O segundo desafio é a qualidade da gestão. Nós evoluímos muito na gestão, tanto em administração direta, de hospitais universitários, evoluímos inclusive o sistema de auditoria, via um órgão que criamos e faz a auditoria do Estado o tempo inteiro. Terceiro é diminuir o desperdício e o desvio, que infelizmente ainda ocorre. O quarto é a virtualização, que deve ser feita apenas em alguns casos, e não para facilitar o crime. Então, são desafios que são constantes, mas passíveis de ser bem encaminhados”, finalizou Uip.