Moraes diz que sempre observou urgente necessidade de aproximar a justiça do povo

  • Por Estadão Conteúdo
  • 21/02/2017 11h57
São Paulo - O ministro de Estado da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, participa do 6º Congresso de Combate e Prevenção à Lavagem de Dinheiro e ao Financiamento do Terrorismo na Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo - Fecomercio.(Rovena Rosa/Agência BRasil)Alexandre de Moraes

O ministro licenciado da Justiça Alexandre de Moraes, indicado pelo presidente da República, Michel Temer, para ocupar uma cadeira no Supremo Tribunal Federal (STF), começou seu pronunciamento na sabatina que ocorre na manhã desta terça-feira (21), na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado Federal dizendo que acredita na aplicação do direito e na Justiça efetiva, narrando sua trajetória na Faculdade de Direito da USP, no Ministério Público, no Conselho Nacional de Justiça, como advogado e no Ministério da Justiça. Na sua avaliação, ele ocupou vários “lados do balcão”. 

Em sua fala, Moraes destacou que sempre se pautou pela ética profissional e que a sabatina no Senado legitima o indicado ao cargo. E disse que sempre observou a urgente necessidade de aproximar a justiça do povo brasileiro. “O papel da Justiça é relevantíssimo nesse contexto”, emendou.