Moro aceita denúncias e torna João Santana, Monica Moura e Odebrecht réus na Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 29/04/2016 15h32
Brasília- DF- Brasil- 07/04/2015- O juiz federal Sérgio Moro participa de apresentação de um conjunto de medidas contra a impunidade e pela efetividade da Justiça, na sede Associação dos Juízes Federais do Brasil (Fabio Rodrigues Pozzebom/Agência Brasil)Sérgio Moro - Agência Brasil

O juiz federal Sérgio Moro aceitou nesta sexta-feira (29) duas denúncias contra João Santana e sua mulher, Monica Moura. O ex-presidente do grupo Odebrecht, Marcelo Odebrecht e outras 14 pessoas também viraram réus. Os denunciados passam a responder por crimes como corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro em mais dois processos no âmbito da Operação Lava Jato.

As denúncias são originadas na 23ª fase da operação (Operação Acarajé), que investigou o marqueteiro de campanhas do PT, João Santana, e na 26ª fase que apurou suspeita de pagamentos de vantagens indevidas a servidores públicos por parte da Odebrecht.

Marcelo Odebrecht responderá ao seu terceiro processo em primeira instância. O ex-presidente da empreiteira já foi condenado a 19 anos e quatro meses de prisão em uma das ações. O segundo processo contra o executivo ainda está em fase de indicação de testemunhas. Enquanto isso, João Santana passa a responder aos processos em primeira instância.

Segundo a força-tarefa da Operação Lava Jato, a primeira denúncia trata da 23ª fase da Lava Jato. João Santana e Monica Moura aparecem como suspeitos de recebimento de dinheiro do esquema de corrupção na Petrobras e de um suposto operador de esquema na estatal, engenheiro Zwi Skornicki.

Há indícios, para a Polícia Federal, que o marqueteiro tenha recebido US$ 3 milhões de offshores ligadas à empreiteira entre os anos de 2012 e 2013, e US$ 4,5 milhões de Skornicki entre 2013 e 2014.

São réus nesta ação:

– Zwi Skornicki, operador
– João Santana, marqueteiro
– Monica Moura, mulher de Santana
– João Ferraz, ex-diretor da Sete Brasil
– Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobras
– Renato Duque, ex-diretor da Petrobras
– João vaccari neto, ex-tesoureiro do PT
– Eduardo Musa, ex-gerente da Petrobras

Já a segunda denúncia, relacionada a 26ª fase da Operação Lava Jato, apura a existência de um departamento responsável pelo pagamento de vantagens indevidas a servidores públicos por parte da Odebrecht, em razão de contratos firmados pela empreiteira com o poder público.

O Ministério Público Federal pede que a Justiça decrete a perda de R$ 34.089.400 dos denunciados, já que os recursos são provenientes de práticas criminosas, como lavagem de dinheiro.

São réus nesta segunda ação:

– Hilberto Mascarenhas Filho, ex-executivo da Odebrecht
– Luiz Eduardo da Rocha Soares, ex-executivo da Odebrecht
– Fernando Migliaccio da Silva, ex-funcionário da Odebrecht
– Maria Lúcia Tavares, ex-funcionária da Odebrecht
– Angela Palmeira Ferreira, ex-funcionária da Odebrecht
– Isaías Ubiraci Chaves Santos, ex-funcionário da Odebrecht
– João Santana, marqueteiro
– Mônica Moura, esposa de Santana
– João Vaccari Neto, ex-tesoureiro do PT
– Olívio Rodrigues Júnior, doleiro
– Marcelo Rodrigues, doleiro
– Marcelo Odebrecht, ex-presidente da Odebrecht