Moro deixa audiência na CCJ após confusão entre deputados

  • Por Jovem Pan
  • 02/07/2019 21h55 - Atualizado em 02/07/2019 22h06
Pablo Valadares/Câmara dos DeputadosA confusão começou depois do deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) ter chamado Moro de "ladrão"

A audiência pública realizada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara dos Deputados para ouvir o ministro da Justiça, Sergio Moro, foi finalizada após o próprio ministro ter deixado o local escoltado, por volta das 21h40min, depois de uma discussão entre parlamentares.

A confusão começou depois do deputado Glauber Braga (PSOL-RJ) ter chamado Moro de “ladrão”. “O senhor vai entrar para história como um juiz ladrão e corrompido que ganhou uma recompensa para fazer com que a democracia brasileira fosse atingida”, afirmou Braga.

A fala gerou protestos de outros parlamentares que estavam presentes. Os deputados se levantaram das bancadas e começaram a travar um bate-boca, em meio a pedidos da deputada que presidia a sessão, Prof. Marcivânia (PCdoB-AP), que queria que retomassem os seus lugares e continuassem a audiência. Houve diversas solicitações para que fosse finalizada.

No entanto, a confusão continuou, e Moro deixou a audiência, que durou quase oito horas, sob gritos de “fujão” e “ladrão”.

Sessão tumultuada

A sessão desta terça-feira (2) foi tumultuada. Em diversos momentos, o presidente da CCJ, Felipe Francischini, precisou chamar a atenção dos presentes. Mais cedo, ele chegou a citar o antigo seriado da Rede Globo, a “Escolinha do Professor Raimundo”, para se referir à postura dos parlamentares.

“Parem com essa gritaria. Que coisa desagradável”, pediu, em um primeiro momento. “Se controlem! Parece a ‘Escolinha do Professor Raimundo’ isso aqui”, afirmou, em seguida.

“Quais são os problemas? Dá para resolver no diálogo? Não briguem! Qual é o problema? Não tenho como controlar tudo. Se eu ficar cuidando aqui até de quem foi no banheiro e o outro sentou no lugar… pelo amor de Deus”, lamentou. “E o salário, ó”, brincou, em seguida.

“Troféu da Champions League”

Outro momento que gerou discussão foi quando o deputado federal Boca Aberta (PROS) entregou um troféu ao ministro. “Na gravura, fiz questão de colocar: Sergio Moro a maior estrela do combate a corrupção brasileira”, explicou. “Beijo no coração Sergio Moro, a paz de Deus”, completou.

Boca Aberta também criticou a deputada petista Gleisi Hoffmann, que não estava presente na audiência. Um tumulto ocorreu entre os parlamentares, alguns parabenizando a atitude do deputado, e outros pedindo para responder pela petista.