Moro e Araújo barram entrada de funcionários do governo Maduro no Brasil

  • Por Jovem Pan
  • 19/08/2019 19h06
Reprodução/ABC NewsA justificativa é que o ditador da Venezuela, por seus atos, "contraria princípios e objetivos da Constituição"

Os ministros da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, editaram nesta segunda-feira (19) uma portaria que prevê o “impedimento” de ingresso no Brasil de “altos funcionários do regime venezuelano de Nicolás Maduro”.

A justificativa é que o ditador da Venezuela, por seus atos, “contraria princípios e objetivos da Constituição Federal, atentando contra a democracia, a dignidade da pessoa humana e a prevalência dos direitos humanos”.

“Os nomes das pessoas de que trata o caput constarão de rol taxativo a ser elaborado pelo Ministério das Relações Exteriores e, posteriormente, encaminhado ao Ministério da Justiça e Segurança Pública”, disse o ato dos ministros.

Após sanções dos EUA, Brasil também endureceu medidas

No início do mês, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, John Bolton, disse que o tempo para diálogo com o chavismo “acabou” e que o ditador Nicolás Maduro “está no fim da linha”, durante uma conferência que contou com representantes de mais de 60 nações, inclusive Araújo. Na ocasião, o ministro afirmou que o governo estava elaborando a lista de funcionários cujo ingresso seria proibido no Brasil.

* Com informações do Estadão Conteúdo