Moro estará na exibição de vídeo da reunião ministerial nesta terça-feira

Outras autoridades também vão acompanhar, como os procuradores que já acompanham o caso

  • Por Jovem Pan
  • 11/05/2020 16h29
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoSegundo Moro, na ocasião Bolsonaro teria cobrado a substituição do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, e do superintendente no Rio de Janeiro, interferindo, assim, nas decisões da corporação

Autoridades que tiveram a permissão do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Celso de Mello terão acesso na manhã desta terça-feira (12) à gravação da reunião ministerial do dia 22 de abril ocorrida entre o presidente Jair Bolsonaro, o ex-ministro da Justiça Sergio Moro e o vice-presidente Hamilton Mourão.

Segundo Moro, na ocasião Bolsonaro teria cobrado a substituição do diretor-geral da PF, Maurício Valeixo, e do superintendente no Rio de Janeiro, interferindo, assim, nas decisões da corporação. Moro irá a Brasília para acompanhar a exibição com o seu advogado, Rodrigo Sánchez Rios.

No sábado (9), o decano do Supremo autorizou que o ex-juiz, o procurador-geral da República, Augusto Aras, e o advogado-geral da União, José Levi Mello do Amaral Júnior, tenham acesso ao vídeo entregue pelo governo na noite da última sexta-feira (8).

No despacho, Celso de Mello indicou que a data de exibição seria designada pela presidente do inquérito, delegada Christiane Corrêa Machado, que mostraria o conteúdo integral do HD entregue ao STF em “ato único”.

Segundo a PGR, assistirão ao vídeo os procuradores que já acompanham o caso — João Paulo Lordelo Guimarães Tavares, Antonio Morimoto e Hebert Reis Mesquita.

* Com informações do Estadão Conteúdo