Moro rejeita pedido da defesa de Marcelo Odebrecht para “fatiar” investigações

  • Por Jovem Pan
  • 29/09/2015 11h36
SÃO PAULO, SP, 20.08.2015: SERGIO-MORO - O juiz federal Sérgio Moro, responsável pela Operação Lava Jato na primeira instância, durante debate sobre corrupção com o tema: “O Combate à Corrupção Empresarial no Direito Brasileiro”, no V Simpósio de Direito Empresarial, da ALAE - Aliança de Advocacia Empresarial, no WCT, em São Paulo. (Foto: Danilo Verpa/Folhapress) Danilo Verpa/Folhapress Juiz Sérgio Moro participa de simpósio com advogados empresariais em São Paulo

O juiz Sérgio Moro afirmou que a tentativa de dispersar as ações penais contra a construtora Odebrecht não serve à causa da Justiça. O magistrado responsável pelos processos da Operação Lava-Jato negou pedido dos defensores da empresa pelo fatiamento do processo para outros órgãos.

No momento, as ações penais envolvendo executivos da Odebrecht estão sob a responsabilidade dele, na Justiça Federal do Paraná. Na decisão, o juiz diz que as investigações devem ser conduzidas no mesmo local, porque apresentam fatos e provas sobre crimes ocorridos no estado.

Ele reforça que a Odebrecht teria utilizado contas no exterior para pagar propina aos ex-diretores da Petrobras. Já a defesa do sócio da construtora Engevix, preso na última fase da Lava-Jato, pediu também que o processo contra o executivo saia do Paraná.

O empresário José Antunes Sobrinho é acusado de intermediar o pagamento de propina ao ex-presidente da Eletronuclear.

O primeiro caso de fatiamento na operação foi na semana passada, quando o Supremo Tribunal Federal retirou do Paraná as apurações relacionadas a supostas fraudes no Ministério do Planejamento.

Informações de Danillo Oliveira