Três pessoas morrem e seis ficam feridas em conflito entre facções no RJ

  • Por Jovem Pan
  • 04/10/2019 18h38
Reprodução/TwitterAssim que o confronto começou, a PM iniciou um esquema especial de policiamento, que se estendeu até esta sexta-feira

Pelo menos três pessoas morreram e seis pessoas ficaram feridas, segundo a polícia, durante um confronto entre traficantes de facções rivais no Morro da Pedreira, em Costa Barros (zona norte do Rio de Janeiro), na noite desta quinta-feira (3).

No final da tarde, integrantes do Comando Vermelho (CV), que domina o tráfico no vizinho Morro do Chapadão, atacaram os rivais do Terceiro Comando Puro (TCP) e tomaram o controle da Pedreira.

O confronto causou pânico na região. Sete ônibus foram incendiados, o metrô e os trens pararam de circular por pelo menos meia hora e várias ruas tiveram trechos interditados.

A Polícia Militar informou que já previa esse confronto, facilitado pela prisão de um traficante conhecido como Raro, que integra o TCP e comandava o tráfico na Pedreira. O segundo na hierarquia teria abandonado a facção, que por isso estava sem liderança nessa favela. O Comando Vermelho aproveitou esse vácuo para atacar os rivais.

Operação policial continuou nesta sexta

Assim que o confronto começou, por volta das 18 horas de quinta-feira, a PM iniciou um esquema especial de policiamento. A operação continuou nesta sexta-feira (4), em parceria com a Polícia Civil.

O incêndio dos coletivos, todos na avenida Pastor Martin Luther King Jr., teria sido uma estratégia dos traficantes do Comando Vermelho para dificultar a chegada de reforços do TCP ao morro.

Ainda na quinta-feira, um homem baleado foi levado por familiares para um hospital, mas já chegou morto, segundo a PM. Nesta sexta, a PM localizou dois corpos – um deles na favela Terra Nostra, que integra o complexo da Pedreira, e outro no Chapadão. A identidade dessas vítimas não havia sido divulgada até as 15h desta sexta.

Outras seis pessoas foram feridas, entre elas um adolescente, socorrido ao Posto de Atendimento Médico Abdon Gonçalves, em São João de Meriti (Baixada Fluminense).

As outras vítimas foram atendidas nos hospitais Albert Schweitzer, em Realengo, e Getúlio Vargas, na Penha. Na manhã de hoje, dois homens foram presos, na Pedreira, acusados de associação para o tráfico e porte ilegal de arma de fogo.

* Com informações do Estadão Conteúdo