Mortos pelas chuvas em Petrópolis chegam a 198; bombeiros procuram 69 desaparecidos

Segundo a Polícia Civil, 181 vítimas já foram identificadas, o que corresponde a aproximadamente 91% do total; Defesa Civil e Secretaria de Assistência Social seguem trabalhando no local

  • Por Jovem Pan
  • 23/02/2022 08h46
JORGE HELY/ENQUADRAR/ESTADÃO CONTEÚDO Tragédia Petrópolis Defesa Civil trabalha para mapear possíveis pontos de risco de deslizamentos; previsão é de novas chuvas durante a tarde

A Polícia Civil do Estado do Rio de Janeiro confirmou que o número de mortes causadas pelas fortes chuvas em Petrópolis na última semana aumentou para 198. A informação foi dada pela corporação na manhã desta quarta-feira, 23. Além dos cadáveres, nove despojos (fragmentos de corpos) foram encaminhados ao Instituto Médico Legal (IML). Do total de vítimas, 119 são mulheres, 79 são homens. A Polícia também informou que 181 corpos foram identificados, mantendo o índice de identificação em 91%. Até o momento, a Delegacia de Descoberta de Paradeiros (DDPA) trabalha com o registro de 69 pessoas que seguem desaparecidas. A prefeitura de Petrópolis informou ainda que o Corpo de Bombeiros começou mais um dia de buscas por vítimas nesta quarta. A Secretaria de Assistência Social está atendendo 811 pessoas dividas entre os 13 pontos de apoio mantidos pela prefeitura, além de prestar suporte a pessoas que estão em locais alternativos para abrigar quem saiu de casa em áreas de risco.

A Defesa Civil segue atuando, com o auxílio de órgãos estaduais e federais, para atender ocorrências e vistoriar regiões afetadas. Até o momento, o número de ocorrências registradas é de quase 1800, sendo que a maioria de casos se refere aos deslizamentos. Equipes de monitoramento em tempo integral também seguem atuando para conseguir avisar a população em caso de novas tempestades. Nesta quarta, segundo a Defesa Civil, a previsão do tempo indica a possibilidade de chuva moderada para a tarde e a noite. Para alertar a população, as autoridades estão utilizando sirenes, grupos de comunicação por aplicativos e mensagens de SMS. A Defesa Civil também pede que a população fique alerta para novos alertas.