Motoristas da Uber fazem paralisação nesta quarta-feira (8) por causa do preço da gasolina

  • Por Jovem Pan
  • 07/05/2019 15h59
Aloisio Mauricio/Estadão ConteúdoMotoristas reclamam das baixas tarifas cobradas pela empresa, que estão congeladas há três anos

Nesta quarta-feira (8) os motoristas brasileiros de aplicativos de transporte, principalmente da Uber, vão aderir a uma paralisação global para protestar contra as baixas tarifas cobradas pela empresa, que estão congeladas há três anos. Eles afirmam que, com o aumento do preço dos combustíveis, os ganhos estão muito baixos, o que está tornando a atividade pouco rentável e alongando as jornadas de trabalho.

A data foi escolhida porque será o dia em que a Uber abrirá suas ações na Bolsa de Valores dos Estados Unidos. O movimento, que ganhou o nome “Uber Off” (Uber desligado), foi sugerido pelas associações de motoristas internacionais e aderido no Brasil. O protesto está marcado para as 8h no Vale do Anhangabaú, em São Paulo. De lá, motoristas devem seguir a pé até o prédio da B3, bolsa de valores de São Paulo.

Os protestos na rua foram organizados espontaneamente pelos motoristas, sem a participação da associação, que os apoia.

Segundo o motorista Marlon Luz, famoso pelo canal “Uber do Marlon”, que conta com quase 500 mil inscritos, a intenção é “chamar a atenção de novos investidores para a insatisfação dos motoristas”. Ele pede que os colegas fiquem offline do aplicativo durante esta quarta-feira. Outros youtubers do setor recomendam que os motoristas trabalhem por mais horas no dia anterior à paralisação para não terem prejuízo e pedem “respeito aos que decidirem trabalhar no dia da manifestação”.

Nesta quarta-feira (8) também será retomado no STF o julgamento da lei de autoria do vereador Adilson Amadeu que impõe “regulamentações mais restritivas” em relações aos aplicativos de transporte.

Em seu lançamento de ações, a Uber espera atingir US$ 91 bilhões em valor de mercado e arrecadando até US$ 9 bilhões.