Mourão: comprovada ilicitude, ‘é óbvio’ que Onyx terá de sair do governo

  • Por Jovem Pan
  • 05/12/2018 13h48 - Atualizado em 05/12/2018 14h30
Mateus Bonomi/Estadão ConteúdoEm Minas, Mourão disse que é "o escudo e a espada" de Bolsonaro

O vice-presidente eleito Hamilton Mourão afirmou nesta quarta-feira (5) que Onyx Lorenzoni terá de deixar o governo de Jair Bolsonaro caso sejam detectadas irregularidades na investigação sobre “caixa dois” aberta pelo Supremo Tribunal Federal (STF). As acusações contra o futuro ministro da Casa Civil foram feitas por delatores da J&F.

“Uma vez que seja comprovado que houve ilicitude, é óbvio que terá que se retirar do governo, mas, por enquanto, é uma investigação”, afirmou Mourão. O general participou de encontro com empresários em Belo Horizonte (MG). As apurações foram autorizadas pelo ministro Edson Fachin após pedido da Procuradoria-Geral da República (PGR).

Escudo e espada

O novo vice-presidente aproveitou o evento para indicar que poderá participar da articulação política da nova gestão, caso Bolsonaro assim determine, apesar de não haver – segundo ele – sinal nesse sentido. Mourão vou a dizer que é “o escudo e a espada” do capitão da reserva do Exército. “O escudo defende e a espada ataca antes de ele ser atacado.”

Caixa dois

Onyx Lorenzoni teria recebido R$ 300 mil, em 2012 e 2014, da J&F. O valor seria para caixa dois – doações irregulares para campanhas políticas -, de acordo com delatores da empresa. A procuradora-geral Raquel Dodge se manifestou sobre a ação na semana passada e a autorização do Supremo foi dada ontem (4). Deputado, Onyx tem foro privilegiado.

*Com informações do Estadão Conteúdo