Mourão elogia discurso de Bolsonaro na ONU: ‘Incisivo, direto e soberano’

  • Por Jovem Pan
  • 24/09/2019 16h12
Flickr/Palácio do PlanaltoGeneral Hamilton Mourão, vice-presidente do Brasil

O presidente em exercício, Hamilton Mourão, elogiou nesta terça-feira (24), em palestra no Clube Militar do Rio de Janeiro, o discurso feito mais cedo pelo presidente Jair Bolsonaro durante a Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU).

“O presidente hoje foi incisivo, direto e soberano”, afirmou Mourão, destacando a parte em que Bolsonaro falou sobre repercussão mundial devido às queimadas que vêm ocorrendo na região norte há mais de um mês. “A Amazônia não é o pulmão do mundo, não é patrimônio da humanidade, é patrimônio brasileiro e compete à gente protege-la”, completou.

De acordo com Mourão, queimada na Amazônia é igual 7 de setembro, “todo ano tem”. Ele afirmou ainda que o governo quer resolver a questão fundiária da região, que vai custar “milhões de dólares ao governo” e, se a Alemanha quiser financiar, “tudo bem, será bem-vindo”.

“Democracia mais liberal do Hemisfério Sul”

Na palestra, Mourão declarou a uma plateia repleta de militares que o governo Bolsonaro tem como missão fazer do Brasil “a democracia mais liberal do Hemisfério Sul”.

Ele destacou que o primeiro passo está sendo “resgatar a gestão econômica”, retirando o peso da “ineficiência do Estado para quem trabalha e produz”. Para o presidente em exercício, o grande número de funcionários públicos são fruto do “aparelhamento de governos anteriores”.

“O presidente Bolsonaro colocou a nossa missão de restaurar e reerguer a pátria, libertando da corrupção e da submissão ideológica, esses são os nossos vetores para fazer do Brasil a democracia mais liberal do Hemisfério Sul, o que gerações e mais gerações desse clube (militar) vieram buscando ao longo dos últimos 100 anos.”

*Com Estadão Conteúdo