Mozart não está descartado para Ministério da Educação, diz Onyx

  • Por Jovem Pan
  • 22/11/2018 15h12
Fátima Meira/Estadão ConteúdoOnyx falou com a imprensa nesta quinta, em Brasília

Ministro extraordinário da transição de governo, Onyx Lorenzoni afirmou nesta quinta-feira (22) que o educador Mozart Neves Ramos não está descartado para a Educação. Após a suposta indicação ter vazado na quarta (21) e provocado reação da bancada evangélica na Câmara, o presidente eleito Jair Bolsonaro negou a informação.

“Em nenhum momento, nenhum membro do gabinete de transição e tampouco o presidente deram qualquer indicativo de que havia definição [para a pasta]”, disse Onyx no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB), onde a equipe de transição está instalada. “Temos profundo respeito pelo professor Mozart”.

Mozart é assessor de Viviane Senna, presidente do instituto que leva o nome do irmão Ayrton. Químico, ele é reitor da Universidade Federal de Pernambuco. Após a divulgação do suposto convite por jornais, ele foi acusado de ser contrário ao projeto “Escola sem partido” que proíbe “prática de doutrinação política e ideológica” por professores.

“Temos pedido para que tenhamos uma trégua e um tempo de paz para que possamos construir as propostas do novo governo. O Instituto [Ayrton Senna], a Viviane e o professor Mozart sofreram ataques desnecessários, indevidos e desconectados”, disse Onyx. Nesta quinta, Bolsonaro levantou o nome do procurador Guilherme Shelb para a Educação.

*Com informações do Estadão Conteúdo