MPF denuncia Gim Argello, Delúbio, Odebrecht e mais 17

  • Por Jovem Pan
  • 06/05/2016 14h31
Gim Argello

O Ministério Público Federal denunciou nesta sexta-feira (06), em Curitiba, o ex-senador Gim Argello e o empresário Ronan Maria Pinto por suposto envolvimento em crimes investigados na Operação Lava Jato. Cabe agora ao juiz federal Sérgio Moro aceitar ou não as denúncias.

São duas novas denúncias relacionadas ao esquema de corrupção na Petrobras. A primeira engloba Gim Argello, que deve responder por crimes como lavagem de dinheiro, corrupção, organização criminosa e obstrução nas investigações.

“Ficou comprovado que o ex-senador e pessoas próximas, em conluio com dirigentes de empreiteiras envolvidas no megaesquema criminoso instalado na Petrobras acertaram e promoveram o pagamento de vantagens indevidas entre os meses de abril e dezembro de 2014 com o objetivo de obstruir os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) instaurada no Senado e da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) no Senado e na Câmara dos Deputados”, diz nota da força-tarefa.

Mais dez pessoas também estão envolvidos nesta primeira denúncia. São eles: Gim Argello, Jorge Afonso Argello Junior, Paulo César Roxo Ramos, Valério Neves Campos, José Aldemário Pinheiro Filho, Roberto Zardi Ferreira, Dilson de Cerqueira Paiva Filho, Ricardo Ribeiro Pessoa, Walmir Pinheiro Santana, Marcelo Bahia Odebrecht e Claudio Melo Filho.

O nome do ex-senador Gim Argello aparece nas delações do senador Delcídio Amaral e do dono da UTC, Ricardo Pessoa. Argello foi preso no âmbito da 28ª fase da Operação Lava Jato e foi indiciado pela PF por crime de corrupção.

Na segunda denúncia, Ronan Maria Pinto, dono do jornal “Diário do Grande ABC” e de empresas do setor de transporte e coleta de lixo, é denunciado por lavagem de dinheiro. Ele foi preso na 27ª fase da Lava Jato.

A denúncia também envolve o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares e mais sete. São eles: Ronan Maria Pinto, Sandro Tordin, Marcos Valério Fernandes de Souza, Enivaldo Quadrado, Luiz Carlos Casante, Breno Altman, Natalino Bertin, Oswaldo Rodrigues Vieira Filho e Delúbio Soares de Castro.

*Informações do repórter Claudio Tognolli