MPF irá apurar se ministro da Educação cometeu improbidade no envio de carta a escolas

  • Por Jovem Pan
  • 20/03/2019 11h44
Dida Sampaio/Estadão ConteúdoO processo busca apurar se o ministro Vélez feriu o Art. 37 da Constituição, que trata de princípios da impessoalidade

O Ministério Público Federal em Brasília informou que apurará se o ministro da Educação, Ricardo Vélez Rodríguez, cometeu improbidade administrativa ao enviar carta a escolas na qual havia a inscrição do slogan de campanha do presidente Jair Bolsonaro: “Brasil acima de tudo, Deus acima de todos”.

Na carta, enviada no mês passado a escolas de todo o País, o ministro pedia ainda que as escolas filmassem os alunos cantando o Hino Nacional e enviassem o vídeo ao Ministério da Educação.

A abertura do processo de apuração foi noticiada pelo jornal O Globo nesta terça-feira (19).

O processo busca apurar se o ministro Vélez feriu o Art. 37 da Constituição, que trata de princípios da impessoalidade.

No fim do mês passado, em 26 de fevereiro, Ricardo Vélez Rodríguez participou de audiência pública no Senado e foi questionado sobre o caso de envio de cartas a escolas. Ele disse que errou ao pedir que as crianças fossem filmadas sem a autorização dos pais e que retirou o slogan de campanha da carta.

Dois dias depois, o MEC desistiu até mesmo de solicitar os vídeos para as escolas.