Não há lugar para Marcola em Brasília, diz governador do DF após transferência de líder do PCC

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2019 15h11 - Atualizado em 22/03/2019 15h12
JORGE SANTOS/ESTADÃO CONTEÚDOAntes das duas transferências recentes, Marcola estava preso no interior de São Paulo

O governador do Distrito Federal, Ibaneis Rocha (MDB), afirmou no Twitter que “Marcola não tem lugar em Brasília”. A publicação, feita nesta sexta-feira (22) é uma crítica à decisão do Ministério da Justiça de transferir o líder da facção Primeiro Comando da Capital (PCC), Marco Willians Herbas Camacho, de Porto Velho (RO) para a capital federal.

“O Distrito Federal tem governo e este governo não admite a entrada do crime organizado na capital federal”, escreveu o emedebista, dizendo ainda que o distrito está empenhado “em cuidar de nossos problemas, e não vamos tolerar que queiram transferir um problema que é do governo federal para a vida de nossa população”.

Ibaneis disse que soube de criminosos integrantes de facções que estão comprando “casas, terrenos e comércios” no DF e em regiões próximas. “É inadmissível aceitar a instalação do crime organizado na capital da República. Tenho que zelar pela população do DF”, encerrou o político. O PCC, liderado por Marcola, surgiu no estado de São Paulo

Marcola foi transferido de Porto Velho para Brasília junto com outros três integrantes da facção. Os quatro estavam no presídio de Rondônia desde fevereiro deste ano, quando 22 membros da cúpula do grupo que estavam no presídio de Presidente Venceslau (SP) foram transferidos para unidades federais. Além de Porto Velho, criminosos da facção haviam sido enviados inicialmente para presídios de Mossoró (RN) e também de Brasília.

*Com informações do Estadão Conteúdo