‘Não posso admitir dinheiro para filme da Bruna Surfistinha’, diz Bolsonaro sobre Ancine

Presidente, no entanto, não especificou se fazia referência ao filme de 2011 ou a uma nova obra da ex-garota de programa

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2019 18h12
Marcos Corrêa/PRFala foi feita durante a cerimônia dos 200 dias de governo do presidente

Em discurso na cerimônia dos 200 dias de governo, Jair Bolsonaro sinalizou que poderá anunciar mudanças na Agência Nacional do Cinema (Ancine) para os próximos dias. O presidente disse que conversou “de canto” com o ministro da Cidadania, Osmar Terra, para tratar do tema.

“Conversamos e nos resolvemos sobre a Ancine. Não posso admitir dinheiro para filme da Bruna Surfistinha”, disse, sem especificar a referência. “Não sou contra a opção de ninguém, mas ativismo é o que nós não podemos permitir, em respeito às famílias”.

Um filme sobre a ex-garota de programa já havia sido feito em 2011, com a atriz Deborah Secco no papel principal. Bolsonaro, no entanto, não disse se falava da obra ou sobre projetos de financiamento para uma nova cinebiografia de Surfistinha.

Na cerimônia, o presidente ainda anunciou outra importante mudança para o setor, transferindo o Conselho Superior de Cinema para a pasta da Casa Civil. Até então, o colegiado era de responsabilidade da Cidadania. A justificativa é de que a pasta tem maior capacidade de articulação e fomento de políticas públicas para a área.

Vestibular 

O presidente também comentou a suspensão de um vestibular da Universidade de Integração da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) específico para pessoas transexuais, travestis, intersexuais e não-binárias. As inscrições começariam nesta segunda-feira (15) e iriam até o dia 24 de julho. Bolsonaro já havia anunciado o cancelamento da prova através de seu Twitter.

“Eu tive que estudar e ver o que são pessoas não-binárias. Não vou comentar aqui em respeito a vocês”, disse à plateia de militares e políticos que assistiam à cerimônia. “O que tem a ver uma pessoa fazer vestibular para matemática  e ser transexual? Não tem espaço para héteros”.