Navio da Marinha encontra destroços de avião desaparecido da Força Aérea do Chile

De acordo com nota do Ministério da Defesa, o navio recolheu “itens pessoais e destroços compatíveis com a aeronave Hércules C-130” que desapareceu na madrugada desta terça-feira (10)

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2019 19h15
Marinha / DivulgaçãoNavio Almirante Maximiano, enviado pela Marinha para ajuda nas buscas pelo avião desparecido da Força Aérea do Chile

O Ministério da Defesa informou que o navio polar Almirante Maximiano, da Marinha do Brasil, recolheu “itens pessoais e destroços compatíveis com a aeronave Hércules C-130, da Força Aérea do Chile” durante buscas nesta quarta-feira (11).

A nota do Ministério informa também que as partes do avião desaparecido desde a madrugada desta terça (10) “estavam a aproximadamente 280 milhas náuticas (518 km) de Ushuaia, na Argentina.”

O navio da Marinha permanece nas áreas de buscas “em ações coordenadas com autoridades chilenas e duas lanchas do navio continuam a recolher destroços”, informa a pasta.

Nesta terça, o presidente Jair Bolsonaro colocou à disposição do governo chileno aviões da Força Aérea Brasileira (FAB) para a ajudar na operação.

De acordo com o Ministério da Defesa, as aeronaves colocadas à disposição são o SC-105 e P3, dotadas de sensores infravermelhos e equipadas com recursos de varredura eletrônica, dentre outras tecnologias.

O avião militar Hércules C-130 tinha 38 pessoas a bordo, decolou de Punta Arenas, ao sul do Chile, e deveria pousar em uma base na Antártica. O contato via rádio com a aeronave foi interrompido durante o trajeto.