Neoliberalismo de Dilma é “fajuto e pé-de-chulé”, avalia Serra

  • Por Jovem Pan
  • 15/06/2015 09h15

José Serra na chegada à convenção estadual do PSDB; "Dilma não mudou para o nosso lado"José Serra na chegada à convenção estadual do PSDB

Em sua convenção estadual, neste domingo (14), o PSDB tratou de questões federais e da cidade de São Paulo. O senador José Serra afirmou que o Partido dos Trabalhadores (PT) tem mudado de lado em relação às políticas econômicas que sempre defendeu.

“Neste fim de semana a presidente disse que não mudou de lado. Eu acho que efetivamente não mudou de lado no que se refere à vocação do PT em transformar corrupção em método de governo e comandar os maiores malfeitos da história do Brasil”, acusou o tucano.

“(O PT de Dilma) mudou de lado no que se refere à política econômica, mas não para o nosso lado. Caiu no neoliberalismo mais fajuto e pé-de-chulé da história brasileira”, disse Serra.

No evento, foram dadas várias demonstrações de apoio para que o governador Geraldo Alckmin se candidate à presidência da República em 2018.

Outro ponto que esteve nas falas dos políticos presentesà Assembleia Legislativa foram manifestações contra o governo federal.

Diretório

A convenção tucana elegeu o deputado estadual Pedro Tobias para a presidência do diretório paulista.

Já no plano municipal em São Paulo, o PSDB ainda vive uma disputa interna acirrada após a eleição de Mário Covas Neto para a presidência do diretório.

O novo presidente paulista do partido, Pedro Tobias, diz que pacificar a sigla na capital é o maior desafio. “Não pode deixar (na) cidade de São Paulo essa briga que está acontecendo. Prejudica a todos”, disse.

Pedro Tobias tinha apenas um concorrente, o militante Evandro Losacco, que desistiu em troca de uma das vice-presidências.

O deputado federal Bruno Covas foi eleito secretário-geral da sigla, enquanto Marcos Monteiro fica com a tesouraria.

Informações do repórter JP Tiago Muniz